Socorristas do Aruã participam de curso de reciclagem de primeiros-socorros

Com o intuito de manter a equipe de oito socorristas do Aruã plenamente capacitada, todos participaram de mais um curso de reciclagem, no dia 21 de novembro de 2017.

De acordo com o diretor de Segurança, Gilberto Farias, o curso foi ministrado pelo Sargento Osmar Nogueira, do Corpo de Bombeiros de São Paulo, e contou com aula prática e teórica, para relembrar procedimentos, praticar manobras e, inclusive, aperfeiçoar e atualizar os conhecimentos e práticas. “O bem-estar da família Aruã é fundamental para a atual diretoria, e como não se pode prever quando vai ocorrer um acidente ou um problema de saúde que necessite de um socorro imediato, e considerando também a distância até o hospital mais próximo ou o tempo para a chegada de um resgate médico, desde o início dessa gestão, temos investido no preparo de pessoas e na compra de equipamentos que permitam um primeiro atendimento rápido e eficiente no caso de emergências médicas”, informa o diretor-presidente, Claudio Pudo.

Para cumprir essa meta, oito funcionários da equipe de segurança têm recebido regularmente treinamentos e reciclagens em cursos de primeiros-socorros para que, numa eventualidade, estejam reparados para atuar. São dois de cada equipe, ou seja, 24 horas por dia, durante os sete dias da semana, estão presentes no Aruã, no mínimo, dois socorristas habilitados para esses primeiros atendimentos de urgências médicas.

 

DEA

Segundo o diretor de Segurança, é importante relembrar que, entre o final de abril e o começo de maio deste ano, os socorristas da equipe do Aruã participaram de um importante treinamento/orientação sobre como operar o DEA (Desfibrilador Externo Automático), equipamento que foi adquirido pela atual diretoria para um primeiro atendimento em caso de emergência com sintomas de infarto, tratando-se de um aparelho de última geração e que passa por avaliações periódicas para analisar a sua operacionalidade. Ele possui até comando de voz para orientar os usuários, posto que os socorristas não possuem habilidades para identificar um infarto, função essa de um médico ou profissional especializado. “No entanto, sendo identificados os sintomas, eles colocarão os eletrodos no paciente e o equipamento fará a análise e dará as orientações, enquanto se aguarda a presença de uma equipe médica”, esclarece.

É fundamental ressaltar que o telefone de emergências do Aruã é o 4795-1400 e só deve ser utilizado, exclusivamente, em estado de necessidade, sendo que qualquer dúvida, crítica, elogio ou sugestão pode ser enviado para o e-mail diretor.seguranca@aruaonline.com.br.